Setor de licenciamento é maior do que se estimava

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

ESTUDO MOSTRA ESPAÇO PARA AMPLIAR SETOR
Receita fica acima da espera e projeção para 2009 é de R$ 4,4 bi

O setor de licenciamento é maior do que o previsto e ainda tem espaço para crescer.

É o que aponta levantamento feito pelo Instituto Clade a pedido da Abral.  A mostra revelou dados significativos para o setor.  “Estimava-se um faturamento R$ 3,4 bilhões. Com isso, a projeção para 2009 passa a ser de R$ 4,15 bilhões”, aponta Dorlei Mignon, diretor da Abral.

Para o levantamento foram ouvidos 84 empresas, sendo 65 agentes e donos de propriedades e 19 licenciados.  O estudo foi finalizado em agosto.

Segundo o levantamento, estão disponíveis no mercado 747 propriedades.  As empresas que utilizam licenças em seus produtos somam 748 e são responsáveis por 2.996 contratos.

A associação estima que existem ainda no mercado 6.000 empresas com potencial para comprar licenças.  Para Mignon uma das possibilidades de crescimento do setor é por meio de regionalização de contratos.

“Precisamos atingir esse mercado emergente que desponta nas regiões Centro Oeste, Norte e Nordeste.  Hoje os contratos são nacionais e poucos produtos licenciados chegam a essas regiões, que passaram ter importantes indústrias de vários segmentos”, afirma o executivo.

De acordo com o estudo, 44% das propriedades oferecidas se aplicam a todas as idades e cerca de 26% são dedicadas ao público infantil.

Os segmentos com mais empresas licenciadas são os de vestuário, com 181 firmas, brinquedos (105), papelaria (95), calçados e bolsas (74) e alimentos (69).

Fonte: Folha de S. Paulo – 13/09/09

A matéria da Folha é ilustrada com produtos licenciados, como lancheiras,
mochilas, sacolas, cadernos e fichários, caixas de presente,com uso
de propriedades da Mattel, Marvel, Skelanimals, Convey e Bakugan.

Comments

comments

Comments

comments