Moda para o Dia das Crianças

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Público infantil já responde por 15% da venda de vestuário no Brasil.

A moda infantil no Brasil representa 15% da venda de vestuário e
estima-se que 80% das crianças brasileiras exercem influência sobre os
pais no momento da compra. Atentas às necessidades e exigências deste
mercado promissor, as empresas da região investem em produtos de
qualidade, priorizando também criatividade e conforto, para obter êxito
entre o público infantil.

Trick Nick – A marca de confecção
infantil Trick Nick, do grupo de indústrias têxteis Rovitex, de Luiz
Alves/SC, vem fazendo investimentos em marketing e fortes avanços
tecnológicos na linha de produção para assegurar à confecção infantil
moda e conforto em níveis altamente elevados de qualidade.

“Ampliamos
nosso mix infantil para ganhar mercado e teremos também neste segundo
semestre produtos licenciados Looney Tunes, com 19 lançamentos de
artigos femininos do Piu Piu e masculinos do Taz e Pernalonga. Estes
personagens são um sucesso entre a garotada, o que será uma ótima opção
também para os nossos clientes”, afirma a diretora de marketing do
grupo, Dayana Nicolle Rambo.

A nova coleção alto-verão 2009 que a
Trick Nick lança ao mercado apresenta 99 artigos para meninos e
meninas. Os destaques ficam por conta dos inéditos acessórios da marca
para as férias e volta às aulas. São bolsas, mochilas de costas e
também com rodinhas, todas com estampas personalizadas e puxadores
emborrachados. Nas opções femininas da Nick, destaque para os bordados
e aplicações de lantejoulas e strass.

Os novos modelos trazem
também brindes sem custo adicional nenhum. Nas confecções femininas
acompanham pulseiras, prendedores de cabelo, tic-tac ou colares e para
os meninos chaveiros, adesivos ou tatuagens.

Zig Zig Zaa – A Zig
Zig Zaa, da Malwee Malhas, que acaba de completar um ano, além de
tratar a criança como criança também auxilia no processo de
desenvolvimento dos pequenos, contribuindo para que se tornem adultos
mais bem preparados no futuro. Em cada coleção são trabalhados um tema
estilístico, voltado para a criação estética da roupa, e um tema
pedagógico, recomendado pelos especialistas para as diferentes fases da
infância.

Além disso, as palavras estampadas nas peças são
inseridas também em Braille através de técnica de estampa em relevo,
promovendo maior integração.

Para estimular adequadamente o
desenvolvimento das crianças, a coleção é dividida por fases. Assim, a
primeira fase, voltada para atender as necessidades específicas dos
pequeninos de 1 a 3 anos, trabalha com temas que reavivam nossa memória
cultural e estimulam a brincadeira. Texturas, aromas, detalhes que
abrem e fecham, apliques que podem ser colocados e retirados pela
criança, guizos, entre outros detalhes cuidadosamente estudados,
proporcionam diferentes formas de interação e estímulo.

A
segunda fase é dos quatro aos seis anos, momento no qual eles se vêem
cheios de “porquês?” e “como?”, tentando desvendar o mundo. Por isso,
as roupas trazem informações que ajudam a desenvolver o raciocínio
enquanto a criança brinca com as peças. Além de tudo isso, a roupa
oportuniza elementos de integração e brincadeira entre pais e filhos.

Carinhoso
– A LMG Roupas Ltda, empresa que detém a marca Carinhoso, produz
aproximadamente 300.000 peças mês, somente desta marca. A empresa
procura adequar as tendências mundiais da moda infantil à alegria das
crianças do Brasil. Dessa mistura, nascem coleções coloridas e
divertidas que combinam perfeitamente com a infância.

As
coleções também se diferenciam pelos acabamentos de costura, detalhes
em apliques, bordados e estamparia, processos de lavanderia
diferenciados, acabamentos artesanais e cores.

Na coleção de
lançamento da Carinhoso Baby, extensão da marca Carinhoso, as peças
femininas ganham motivos de florais miúdos em cores doces, dando um ar
romântico às leggings e aos tops. As listras coloridas ganham espaço
nos bodies e camisetinhas, podendo formar várias opções com os modelos
também lisos.

Já para os meninos, a coleção valoriza estampas de
um mundo marinho rico repleto de vida e diversidade. Num universo
colorido e alegre, o personagem de um menino com o seu carrinho dão
vida a camisetinhas e bodies.

PUC – A PUC, da Cia. Hering, faz
uma viagem à Amazônia e traz inspiração ecológica para a sua campanha
de primavera, clicada por Henrique Gendre. Para aguçar a consciência
ambiental da garotada, a marca infantil também lança a linha “Planeta
PUC”, composta por peças produzidas em algodão orgânico, cujas fibras
são cultivadas com manejo sustentável, ou seja, utilizando pouquíssimos
processos químicos, em sintonia com o meio ambiente.

Na linha
voltada para os bebês, duas estampas bem criativas se destacam. As
frases “Capelinha de Melão é de São João”, da popular cantiga de roda,
e “guaraná, suco de caju, goiabada”, da divertida música de Tim Maia,
vão agradar os papais e mamães mais nostálgicos. E nas estampas, mais
diversão pras crianças, com muitas folhas, flores e frutas pras meninas
e símbolos de aventura, camuflados e animais selvagens para os meninos.

Cativa
Têxtil
– Na Cativa Têxtil, cada peça carrega consigo temas que remetem
aos mais divertidos e animados momentos da infância. Todas seguindo o
gosto da garotada e pesquisas de tendências, essenciais para o sucesso
dos produtos. Atualmente, coleções infantis representam 20% do
faturamento total da empresa, dentro de metas estipuladas a cada
coleção.

Para o licenciado Tom and Jerry, por exemplo, o mote
da coleção atual é radical com destaque para o skate, os esportes
urbanos e as aventuras. Modelagens tradicionais ganham diferencial na
estamparia. “É uma forma de brincar e promover a criatividade tão comum
nos personagens que dão o nome às roupas”, afirma a estilista
responsável pela criação da linha infantil masculina de Tom and Jerry
na Cativa, Juliete Floriani.

Para a próxima coleção com foco nas
crianças, a Cativa traz novidades em licenciados. A Disney é a nova
parceria da companhia têxtil de Pomerode, que trabalhará a Turma do
Mickey e a Fada Sininho. Personagens históricos e conhecidos
mundialmente passarão a figurar em peças diversas, nas mais variadas
coleções anuais, todas produzidas exclusivamente pela Cativa para
atender ao público brasileiro. Os novos licenciados prometem muita
diversão para a garotada e também para os adultos, já que algumas peças
também focarão este público.

Moda infantil também no quarto da
garotada: A Teka – uma das maiores fabricantes de artigos de cama, mesa
e banho da América Latina – em parceria com a DreamWorks, os mesmos
criadores de Shrek e Madagascar, apresentam com exclusividade a linha
completa do desenho animado Kung Fu Panda. Composto por jogos de cama,
cobreleitos, colchas, toalhas de banho, recreio e de praia, os produtos
licenciados trazem toda a irreverência do urso panda Po, que se torna
um mestre das artes marciais, e de seus companheiros nas estampas
especiais e diferenciadas desta Coleção.

Totalmente coloridos, os
itens são produzidos em 100% algodão e macios ao toque, pois apresentam
um conceito de tecnologia que proporcionam muito conforto e
durabilidade. Os desenhos são focados tanto para meninas e meninos, a
linha feminina destaca variados tons de rosa e vermelho. Para os
garotos, as ilustrações imperam nos azuis, amarelos e verdes. Tudo
muito alegre e divertido, mostrando-se a solução perfeita para a
decoração do quarto, uma vez que os produtos se coordenam.

Etiquetas para crianças: Percebendo o crescimento do mercado de
vestuário infantil, a Tecnoblu decidiu dedicar uma edição exclusiva
para esse mercado potencial e preparou o primeiro Book para o público
infantil. A contratação de uma equipe especializada com o
direcionamento nas matérias-primas e nos processos de fabricação das
peças também foi fundamental.

Como inovação e criatividade são
grandes diferenciais da Tecnoblu, a viagem da empresa dessa vez foi
pelo mundo da imaginação. Os tags viram “brinquedos” e estão lúdicos e
interativos, as etiquetas estão mais coloridas e atraentes e os
apliques mais leves.

Todas as peças apresentam influências
conceituais para a galerinha que está sempre antenada. A equipe de
criação “mergulhou” fundo no universo da fantasia e sabe qual foi
resultado? Tags porta chupeta, tags com giz de cera para pintar,
etiqueta emborrachada com relevo para aflorar os sentidos, tags que
viram um fantoche, entre muitos outros.

Características da
infância e sua relação com as roupas conforme a faixa etária
:

1 Ano
Período de descoberta de si e dos outros. A criança aprende a
reconhecer o mundo com a ajuda de texturas, cheiros, sons, tamanho,
profundidade e flexibilidade.

– Desenvolvendo a motricidade, a criança é capaz de empilhar cubos, de pegar e entregar um objeto para alguém.

– Começa a entender o significado das expressões: bater palmas, dar adeus.


Respondem ao seu nome. Expressam a linguagem nomeando objetos e pessoas
próximas. Na tentativa de imitar os adultos, muitas falam jargões.


No vestuário, a criança ainda não é capaz de manipular botões e laços,
por isso, é importante que as roupas sejam confortáveis para diminuir o
estresse.

– Abandono de fraldas e mamadeiras e começa a cooperar com a pessoa que a veste.

2
Anos
– Afirmações, valores e comportamentos dos adultos acabam
influenciando, de forma significativa, na construção da identidade das
crianças.

– Esta é a fase do desequilíbrio em relação à personalidade, pois é uma fase de transição (fase da onipotência).

– Quanto ao vestuário, é uma fase ruim de mudanças, pois só aceita aquilo que está acostumada.

3
Anos
– Surge o jogo de imitação e do ‘faz de conta’, atribuindo vida
aos objetos e, tendo, ainda, o adulto como exemplo e modelo.

– Fase do equilíbrio em relação à personalidade, aceita sugestões.


O vestir-se se modifica, devido ao progresso de saber desabotoar.
Dependendo do humor, tentam se vestir com menos ajuda dos adultos, mas
ainda não conseguem distinguir a frente das costas.

4 Anos – O
vocabulário vai se ampliando numa estreita relação com o meio
estimulante. A linguagem é normal, sem nenhuma dislalia.

– As diferenças entre menino e menina começam a se evidenciar.

– A criança é capaz de alternar os pés ao descer as escadas, reconhece e nomeia as cores.

– Ela já consegue se vestir com mais facilidade, mas, mesmo assim, ainda encontra dificuldade com algumas peças.

5 Anos – A criança é curiosa, faz muitas perguntas. Fase dos ‘porquês?’, do ‘como?’ e do ‘conta outra vez!’.

– A criança é capaz de copiar um círculo e um quadrado de um modelo.

– Ela pode pular em um pé só e andar de bicicleta.

– Desenvolve senso críticoe passa a ter um entendimento da realidade ampliado.

– Ela já consegue se vestir com mais facilidade, mas, mesmo assim, ainda encontra dificuldade com algumas peças.

6
Anos
– A criança encontra satisfação no resultado, por isso, essa fase
destaca a maior familiaridade com montagens, com a arte e a música.

– É capaz de coordenar movimentos alternados. Tem condições de reconhecer direita e esquerda.

– O vestir-se já é consciente e autônomo. Começam a esboçar afinidades com peças e modelos especiais.

Os momentos descritos apenas demonstram um padrão geral de
desenvolvimento psicopedagógico. Os dados correspondem a uma análise
responsável de diversos profissionais que entendem e respeitam a
infância.

Fonte: Revista Fator – 27/09/08

Comments

comments

Comments

comments