Mães sentem-se isoladas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Solidão e isolamento são sentimentos que afligem as mães, principalmente as que tem crianças pequenas (de 0 a 5 anos) e adolescentes (de 14 a 18 anos), indicando que épocas de transição são difíceis, tanto para mães novas quanto para mães experientes. Para aquelas com filhos mais novos, a solidão muitas vezes ocorre quando a mãe deixa o trabalho tradicional, afastando-se de amigos de trabalho e começando uma nova vida isolada com bebês e crianças pequenas, sem o apoio de uma estrutura familiar convencional.

Além disso, o sentimento de isolamento se combina com a ansiedade financeira associada à manutenção de uma família em tempos de crise. Da mesma forma, a solidão e o isolamento atingem as mães mais velhas, cujo papel de cuidar da criança perde importância na fase em que os filhos estão no colégio e buscam maior independência. Essas mães costumam questionar qual será o seu próximo papel. Amigos e comunidades online formam uma rede social importante para mães novas e experientes na transição para a próxima fase de suas vidas.

• 55% das mães sentem que seu parceiro não conversa o suficiente com elas.

• 41% são mais solitárias quando o seu filho tem de 0 a 2 anos.

• Se considerarmos filhos de 0 a 5 anos, 67% das mães são mais solitárias.

• 61% querem fazer novos amigos.

• Apenas 19% das mães estão criando seus filhos na mesma comunidade em que cresceram.

• Menos de 50% vivem perto de seus familiares.

O que isso significa para profissionais de marketing?

Mais do que nunca, as marcas devem concentrar-se no fornecimento de possibilidades de conexão às mães, tanto online como offline. Táticas como programas de formação de grupos de mães oferecem oportunidades significativas para a construção de relacionamentos e as leva a serem gratas às marcas que as reuniram.

A partir de artigo de Tracey Hope-Ross (MediaPost) – 16/12/09

Comments

comments

Comments

comments