Japão quer mudar sandálias Crocs por perigo a crianças

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O Ministério da Indústria e Comércio do Japão instruiu o fabricante das sandálias coloridas Crocs, febre ao redor do mundo, a melhorar o design do produto. Segundo informado pela agência de notícias Associated Press, as crianças que usam a sandália correm o risco de terem seus pés presos em escadas rolantes.

A agência destaca que o alerta também vale para os fabricantes de modelos que imitam ou para empresas que têm produtos similares às sandálias Crocs.

Nos Estados Unidos, onde o calçado foi lançado oficialmente, os criadores do modelo imaginavam, inicialmente, desenvolver um sapato para ser usado em barcos, por velejadores, devido ao seu solado antiderrapante (feito em resina) e que não marcava o deck.


Os tamancos de plástico colorido Crocs, porém, viraram moda nos EUA e em 2003 já eram vendidos ao redor do mundo. Atores de Hollywood e celebridades, aliás, ajudaram a impulsionar a moda, se declarando fã do produto cheio de furinhos, preso na parte de trás do pé por uma alça, que deixa o calcanhar de fora.

No Brasil, a sandália começou a ser vendida na Vila Daslu, em São Paulo. Em julho de 2007, a empresa montou uma fábrica em Sorocaba (SP). Por aqui, o modelo mais básico custa cerca de R$ 70.

[A Pro-Teste, associação de defesa do consumidor, pediu ao Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) em Brasília que analise os casos de acidentes ocorridos no exterior e peça o recall do produto no Brasil.]

Segundo a matriz, nos EUA, todos os meses são vendidos cerca de 4 milhões de pares de 30 modelos diferentes em 60 países. [A empresa tem uma fábrica em Sorocaba, com capacidade para produzir 3 milhões de pares ao ano, um terço voltado à exportação.] A Crocs encerrou o ano passado com um lucro estimado de US$ 700 milhões.

Fonte: Folha Online – 22/04/08

Comments

comments

Comments

comments