Indústria de chocolate mantém otimismo, apesar da crise

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Apesar da crise externa, a Associação Brasileira da Indústria de Chocolate, Cacau, Balas e Derivados (Abicab) está otimista com as vendas de chocolate na Páscoa deste ano. Diminuição não vai ter, diz a associação. No ano passado, foram comercializadas 22,9 mil toneladas de produtos para a Páscoa, entre ovos e bombons de chocolate. A indústria do setor faturou R$ 767 milhões no período.

Segundo a assessoria de imprensa da associação, as indústrias de chocolate e balas deverão contratar 25 mil trabalhadores temporários nesse período – 7,5 mil na produção e 17,5 mil na comercialização. A estimativa final, no entanto, só será divulgada no dia 4 de março, durante entrevista coletiva em São Paulo.

O presidente da Abicab, Getúlio Ursulino Netto, disse que a indústria pretende fortalecer a promoção de vendas e, para isso, investirá na contratação de demonstradores que vão oferecer chocolates, balas e bombons para degustação no varejo, em lojas e supermercados, principais canais de distribuição desses produtos.

Ele explicou que o foco nos pontos de venda faz parte da estratégia de ajudar o varejista a vender e o consumidor a fazer a escolha mais adequada às suas necessidades.

A assessoria da associação explicou que os números sobre contratações temporárias para a Páscoa divulgados pela Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário – 60 mil – são diferentes dos seus porque envolvem toda a cadeia produtiva e de comercialização, inclusive fabricantes de brinquedos para brinde nos ovos de chocolate.

Fonte: DCI – 26/02/09

Comments

comments

Comments

comments