Heróis turbinam negócios

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Brinquedos com personagens licenciados podem representar até 80% das vendas do fim de ano

Com a proximidade do Dia da Criança e a criatividade infantil com milhares de brinquedos licenciados, super-heróis, alienígenas, robôs e princesas, as vendas para este público crescem e podem representar até 80% das receitas do período.

A Abrinq garante que o faturamento do setor, incluindo indústria e varejo, alcançará R$ 2,5 bilhões em 2008, valor 8% maior do que o de 2007.

Com o desenho animado no ar, a Gulliver, 35 anos no mercado, deve alavancar as vendas com o personagem Zorro Geração Z e espera crescer 10% em 1008. Paulo Benzatti, diretor comercial da  Gulliver diz que os itens licenciados representam 80% das vendas da empresa e Super-heróis e Disney são seus aliados.

Na Estrela, a novidade é o High Scholl Musical 2. Além de funcionar como microfone normal que amplia a voz, o brinquedo tem músicas que as crianças podem cantar sozinhas ou acompanhando as vozes dos atores.

Na Estrela que aposta no Batman por causa do lançamento do filme, produtos licenciados representam 25% do faturamento.

A Baby Brink lançou a linha licenciada de rádios dos personagens de Backyardigans, além de almofadas com os heróis do Vila Sesamo e bonecas da série musical HI-5.

Na rede PBK a expectativa é de que 70% das vendas do Dia das Crianças seja de produtos licenciados. Suas apostas são, os personagens da Disney, as marcas Hot Wheels e Barbie, Backyardigans e Homem-aranha, além de Ben 10, a marca da vez.

Na opção de linha escolar, a Bic conta com várias licenças para turbinar as vendas com personagens estampados em lapiseiras, canetas, lápis de cor e tubos de cola.

Segundo Sebastião Bonfá, presidente da Abral, existem no pais cerca de 450 licenças disponíveis, com média aproximada de royalties de 6%.  Neste o ano faturamento do setor deverá alcançar R$3,2 bilhões de reais, com royalties médios de 10%.

Comments

comments

Comments

comments