Governo vai processar a Gulliver por não convocar recall imediato

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça, instaurou nesta quinta-feira processo administrativo contra a Gulliver – pela não realização imediata do “recall” da linha de brinquedos Magnetix, que estaria colocando em risco a saúde das crianças. A empresa terá, ainda, que explicar porque decidiu importar esses produtos, apesar de ter conhecimento que de estavam sendo recolhidos pelo fabricante nos Estados Unidos. Ao instaurar o processo, o DPDC argumentou que o recall norte-americano começou em 31 de março de 2006, com uma segunda chamada em 19 de abril de 2007.

A Gulliver importou cerca de 49 mil brinquedos da linha Magnetix, em meados de 2006 e só iniciou o processo de recall no dia 17 deste mês. Ou seja, a empresa só passou a tomar providências com relação à Magnetix cerca de 17 meses após o primeiro recall feito nos EUA.

O problema com os brinquedos da Gulliver é o mesmo apresentado pela Mattel. Os bonecos possuíam acessórios fixados por ímãs que se desprendiam das peças. – A empresa tinha obrigação de conhecer os riscos e o alto grau de periculosidade às crianças que esses brinquedos importados poderiam causar, principalmente, por causa do recall iniciado nos Estados Unidos no ano passado – disse o diretor do DPDC, Ricardo Morishita.

Após a notificação, a Gulliver terá 10 dias para apresentar sua defesa. Caso seja condenada, a multa poderá variar de R$ 200 até R$ 3 milhões.

Fonte: Globo Online – 01/09/07

Comments

comments

Comments

comments